Sustentabilidade no Varejo

O termo Sustentabilidade ganhou notoriedade graças ao trabalho incansável do Green Building Council Brasil através de seus programas de qualificação nos últimos anos, tanto que deixou de ser um elemento intangível em diversos setores econômicos, principalmente para o varejo, para se tornar um pilar importantíssimo no reposicionamento estratégico das empresas.

Singelamente Sustentabilidade é um processo que visa criar conscientização para manter ou melhorar recursos existentes para desfrutarmos futuramente. Porém transformou-se na última década em um conceito mais amplo e os processos para serem considerados sustentáveis devem contemplar os seguintes aspectos:

Social: tem como foco o ser humano, buscando a sua conscientização, para que os resultados dos projetos sejam socialmente justos.

Energético: tem foco na questão energética e na conservação de energia. Visa melhorar a utilização dos recursos disponíveis e maximizar a utilização dos recursos naturais.

Ambiental: é a conscientização do ciclo de vida dos produtos e seus impactos no meio ambiente, gerando os projetos ecologicamente corretos.

Econômico: trata da viabilidade econômica e a minimização dos impactos de manutenção e uso dos recursos disponíveis, resultando em projetos economicamente viáveis.

A aplicabilidade dos aspectos acima citados podem ser implantados em 3 grandes etapas iniciais no Varejo:

  1. Varejo atua diretamente com a cadeia de fornecimento discutindo no dia a dia preço, qualidade, prazo e condições de pagamento, porém outros temas estão vindo à luz das discussões como forma de produção em relação às questões sociais e ambientais.
  2. Operação do Varejo, processos e procedimentos perante às questões sociais e ambientais.
  3. Varejo devido a característica de capilaridade (presença através de muitos pontos de vendas pelo território nacional) , pode levar conscientização e informação aos consumidores através de curadoria e sinalização em seus pontos de vendas (como foram produzidos os produtos, de onde eles vieram, se favorecem alguma comunidade produtora, algum pequeno ou exclusivo fornecedor) levar o consumidor a refletir e mudar seus hábitos de consumo.

Sustentabilidade é um conceito e como tal deve ser estudado, transmitido, assimilado e aplicado.

Vale salientar que o conceito é aberto para qualquer tipo e tamanho de empresa, até porque o consumidor, independente da classe social, está cada vez mais atento à essa questão.

O ciclo de produção e consumo sustentáveis não estará completo sem a participação ativa do setor varejista responsável pela distribuição e que torna acessível aos consumidores maior parte dos produtos e serviços adquiridos nos centros urbanos.

Vale lembrar aos varejistas que a Sustentabilidade pode gerar lucro e significa diferencial para quem a consome independente de qual seja o produto ou solução para o estilo de vida do consumidor, quando planejamos desenvolver um conceito de negócio sustentável, que visa criar uma marca icônica, os pilares de uma marca hoje não podem deixar de entregar beleza, bem estar, prazer, espiritualidade, responsabilidade social e sustentabilidade nos negócios. Estes pilares levam a umreposicionamento estratégico e consequentemente incremento de vendas.

Abaixo cito alguns singelos exemplos de ações de Sustentabilidade no Varejo:

  1. Sociais: O varejo acompanha e dá apoio aos produtores retornando com feedbacks para melhoria das soluções desenvolvidas em conjunto, fomentando engajamento das comunidades produtoras que se organizam em forma de cooperativas utilizando o conceito de GLOCAL, pensar globalmente e agir localmente.
  2. Energético: Desenvolvimento de unidades de Varejo autossustentáveis através de utilização de placas fotovoltaicas para geração de energia nas coberturas conjugadas com sistemas de luminárias de baixo consumo e alto fator de potência em LED, bem como a captação da luz solar que é introduzida na loja através de um sistema de tubos espelhados internamente que são fixados no forro da loja e através de um dispositivo conhecido como colimador ( uma lente que projeta a luz refletida dentro da tubulação) em uma luminária embutida no forro , até a utilização de turbinas eólicas muito utilizadas na região Nordeste para cogeração de energia.

3.Ambiental: um bom exemplo é a criação de formas inteligentes para armazenamento da água de reutilização, para lavar estacionamentos e vasos sanitários. Aplicação de Materiais Ecosustentáveis: o uso de pisos de fibras de bambu, tubos e conexões fabricados com fibras de PET (garrafas de refrigerantes), esquadrias de PVC substituindo as de alumínio (é consumido uma grande quantidade de energia para se produzir o alumínio).

4.Sustentabilidade dos Negócios: geram reposicionamento estratégico e sustentabilidade dos negócios através do desenvolvimento de um conceito de negócio embasado nos pilares antropológicos: beleza, prazer, bem estar, espiritualidade, responsabilidade social e sustentabilidade dos negócios do varejo. Isto resultará na integração estratégica dos departamentos de compras (desenvolvimento de produtos e soluções ao consumidor), marketing (comunicação e ações integradas gerando conexão emocional do consumidor com a marca), operações (concretização da loja física e virtual como cristalização da estratégia de reposicionamento traduzindo-se na experiência máxima de compra pois é o grande ponto de contato do consumidor com a marca) e caso a operação seja de venda assistida não podemos deixar de lembrar de um pilar importantíssimo os recursos humanos, pois aí reside a humanização no ponto de venda a conversão por afinidade.

Neste item gostaria de exemplificar com o case Hering Store:

Hering Antes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Loja antes do desenvolvimento do conceito focada em soluções básicas.

Hering Depois

Loja depois do desenvolvimento do conceito de reposicionamento estratégico, focada em coleções baseadas nos estilos de vida dos consumidores.

fhgf

tvds

Incremento do Valor das ações HGTX3 ( +827,4%)

Estas estratégias promovem uma nova fase na vida das empresas de varejo com incrementos de vendas e que possibilitam um ciclo virtuoso de conscientização contribuindo para evolução de padrões de produção e de consumo, mudando hábitos, comportamentos, valores, enfim, criando nova cultura de consumo na sociedade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                                                                      Artigo escrito por JULIO TAKANO, CEO da ABIESV

ABIESV

Associação Brasileira da Indústria de Equipamentos e Serviços para o Varejo;
Membro fundador;
Presidente.

Go Green Engenharia LTDA - 2015 - Todos os direitos reservados
lavuh.com